28 Abr.

Intercâmbio Vila Verde - Madeira

A segunda fase-Fase Vila Verde, do intercâmbio entre as turmas das Escolas Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas, no concelho de Câmara de Lobos, e Secundária de Vila Verde, distrito de Braga, respetivamente, decorreu entre os dias 18 a 23 de abril do ano em curso, com a visita a Vila Verde dos alunos madeirenses acompanhados por dois professores.
Aquando da chegada ao Porto, fomos recebidos pelos nossos “afilhados” que nos acompanharam até à escola para sermos saudados pelo Diretor da mesma. Após conhecermos as instalações da escola, iniciamos uma visita enriquecedora a nível cultural e científico como estava prevista nos objetivos. Os alunos bracarenses foram os guias dos alunos visitantes, dando a conhecer vários locais de Vila Verde e de Braga, havendo sempre paragem obrigatória nos pontos de maior interesse, salientando-se constantemente a história e a geologia do local. Foram dias muito preenchidos com o tempo contado ao minuto tornando-se numa visita muito enriquecedora, num ambiente agradável e saudável. Conseguimos cumprir o programa, salientando-se a visita ao estádio do AXA inserido numa pedreira que maravilhou todos os presentes por ser uma grande obra de arte assim como a visita à Universidade do Minho que serviu para agitar o “bichinho” da ida para o ensino superior. Para vislumbrar uma paisagem verdejante, nada mais que uma visita ao Parque Nacional da Peneda Gerês seguida de uma visita à barragem de Vilarinho das Furnas. Para contactar directamente com a natureza, fizemos um pequeno percurso pedestre pelas Lagoas de Bertiandos, onde foi possível observar a flora e fauna do mesmo. Descortinada a beleza de Ponte de Lima, Porto e Viana do Castelo, passamos em Ofir/Esposende onde pudemos observar a ação erosiva do mar e as obras de proteção em curso, tal como é salientado no programa da disciplina de Biologia e Geologia. Não podíamos terminar este périplo sem visitarmos o berço de Portugal, Guimarães, e, como verdadeiros “turistas”, degustarmos um manjar típico do Norte de Portugal Continental da responsabilidade dos encarregados de educação dos alunos bracarenses, assim como ver a atuação do Grupo Folclórico de Nogueira mostrando os seus trajes e música típica.
Todas estas actividades foram possíveis graças ao apoio incondicional dos encarregados de educação, do Conselho Executivo das escolas envolvidas, da Câmara Municipal de ambas as partes e empresas que puderam colaborar, sempre sob a orientação dos docentes responsáveis em Braga, professoras Marilena Seixas e Rosa Faria, e na Madeira, professores Indalina Vieira e Marco Andrade.