Convocam-se todos os docentes dos Conselhos de Turma e do Ensino Especial para as reuniões de avaliação do 3.º período com a seguinte ordem de trabalhos e mediante escala na folha em anexo:

 

Escala de reuniões do 3.º Período

Divulga-se a seguinte escala de vigilâncias da 1.ª fase - 2.ª alteração:

Escala de Vigilâncias

Alunos do 9.º 2 e do 10.º 2 adquirem conhecimentos sobre como editar um livro na Biblioteca Municipal de Câmara de Lobos


No dia 26 de abril os alunos do 9.º 2 e do 10.º 2 assistiram, na Biblioteca Municipal de Câmara de Lobos, a uma palestra com o tema: “Como se prepara para fazer e editar um livro”, dinamizada pela Dr.ª Teresa Camacho, da empresa O Liberal - Empresa de Artes Gráficas.
Depois do acolhimento ao grupo, a conferencista fez uma breve apresentação, através da projeção de um conjunto de imagens, da empresa O Liberal, dos seus espaços e das diversas publicações que ali são feitas atualmente. Posteriormente, explicou aos presentes as diferentes fases do processo de edição de um livro.
Com esta atividade, os participantes tomaram consciência do longo processo de criação de um livro desde o momento que é uma simples ideia na mente de um autor até à sua edição e publicação, e certamente passarão a olhar para o livro com mais respeito, não só pelo conhecimento e prazer que guarda, mas também por respeito à complexidade do processo que envolve a sua edição.
Os alunos manifestaram interesse pelos assuntos abordados e estiveram acompanhados pelas professoras Delta Pereira e Tânia Relva.



No dia 24 de abril de 2017, os alunos da turma 6 do 8.º ano realizaram uma visita de estudo ao Engenho da Calheta para ampliarem os seus conhecimentos adquiridos nas aulas de História.
Datado de 1901, o Engenho da Calheta testemunha a importância da produção açucareira na história da Madeira, de onde se extraia, primeiramente, o açúcar e, depois, com a decadência da indústria açucareira nos finais do século XVI, a aguardente de cana e o mel de cana.
Uma vez aqui, os participantes puderam conhecer as instalações e todo o processo de transformação da cana-sacarina em mel e aguardente de cana.
Depois da visita, o grupo foi até à vila da Calheta desfrutar de um gelado num espaço pintado de sol e de mar.
Durante a atividade os alunos mostraram-se sempre muito curiosos e participativos.
O grupo deixa, aqui, um agradecimento especial ao Clube Desportivo Garachico que disponibilizou o transporte.

 


Delta Pereira

 

Os alunos das turmas 1 e 2 do 9.º ano visitam a Assembleia Legislativa Regional, a casa da Democracia.

Nos dias 2 e 3 de maio, respetivamente, os alunos das turmas 1 e 2 do 9.º ano efetuaram uma visita de estudo à Assembleia Legislativa da Madeira, no âmbito da disciplina de História.
A visita de estudo começou no Salão Nobre, antiga Sala de Despacho manuelina, onde a nossa guia, a Dr.ª Maria do Carmo Jesus, fez uma breve contextualização histórica do edifício que abriga a Assembleia Legislativa, antiga Alfândega do Funchal do século XVI, e falou da importância deste órgão legislativo, evocando sempre a Constituição da República Portuguesa de 1976.


O grupo seguiu, depois, para a Sala Rosa, gabinete de reuniões do Presidente da Assembleia, e para a Sala de Reunião de Comissões, onde pôde observar algumas obras e peças de mobiliário que remontam aos séculos XVII, XVIII e XIX, nomeadamente a imponente tapeçaria de Guilherme Camarinha, alusiva ao descobrimento da Madeira e à importância estratégica do porto do Funchal no comércio, nos séculos XVI e XVII. Seguiu-se a Biblioteca, onde se destaca o magnifico teto de influência mudéjar, do século XVI.


Os alunos visitaram, por fim, o Hemiciclo. Aqui, a nossa guia elucidou os participantes quanto ao seu funcionamento, particularizando as funções desempenhadas pelo Presidente da Assembleia, o Dr. José Lino Tranquada Gomes.
Houve, ainda, oportunidade para visitar a Capela de Santo António da Mouraria, de meados do século XVIII.
Sempre muito sorridente, a guia cativou os presentes com os seus conhecimentos e com o seu discurso jovial, regado de humor e simpatia. Os alunos mostraram-se, sempre, muito atentos e participativos.
Esta atividade contou com a colaboração das professoras Catarina Marques e Liliana Pereira e com o apoio da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, que assegurou o transporte.


Delta Pereira

Já está disponível a 31ª Edição do Jornal Carmoalupa-  - 2º período - 2016-2017. Textos de opinião, Exposições, Visitas de estudo, Clubes, Intercâmbio, A escola na imprensa e muito mais....

 

31.ª Edição do jornal Carmo à Lupa

A segunda fase-Fase Vila Verde, do intercâmbio entre as turmas das Escolas Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas, no concelho de Câmara de Lobos, e Secundária de Vila Verde, distrito de Braga, respetivamente, decorreu entre os dias 18 a 23 de abril do ano em curso, com a visita a Vila Verde dos alunos madeirenses acompanhados por dois professores.
Aquando da chegada ao Porto, fomos recebidos pelos nossos “afilhados” que nos acompanharam até à escola para sermos saudados pelo Diretor da mesma. Após conhecermos as instalações da escola, iniciamos uma visita enriquecedora a nível cultural e científico como estava prevista nos objetivos. Os alunos bracarenses foram os guias dos alunos visitantes, dando a conhecer vários locais de Vila Verde e de Braga, havendo sempre paragem obrigatória nos pontos de maior interesse, salientando-se constantemente a história e a geologia do local. Foram dias muito preenchidos com o tempo contado ao minuto tornando-se numa visita muito enriquecedora, num ambiente agradável e saudável. Conseguimos cumprir o programa, salientando-se a visita ao estádio do AXA inserido numa pedreira que maravilhou todos os presentes por ser uma grande obra de arte assim como a visita à Universidade do Minho que serviu para agitar o “bichinho” da ida para o ensino superior. Para vislumbrar uma paisagem verdejante, nada mais que uma visita ao Parque Nacional da Peneda Gerês seguida de uma visita à barragem de Vilarinho das Furnas. Para contactar directamente com a natureza, fizemos um pequeno percurso pedestre pelas Lagoas de Bertiandos, onde foi possível observar a flora e fauna do mesmo. Descortinada a beleza de Ponte de Lima, Porto e Viana do Castelo, passamos em Ofir/Esposende onde pudemos observar a ação erosiva do mar e as obras de proteção em curso, tal como é salientado no programa da disciplina de Biologia e Geologia. Não podíamos terminar este périplo sem visitarmos o berço de Portugal, Guimarães, e, como verdadeiros “turistas”, degustarmos um manjar típico do Norte de Portugal Continental da responsabilidade dos encarregados de educação dos alunos bracarenses, assim como ver a atuação do Grupo Folclórico de Nogueira mostrando os seus trajes e música típica.
Todas estas actividades foram possíveis graças ao apoio incondicional dos encarregados de educação, do Conselho Executivo das escolas envolvidas, da Câmara Municipal de ambas as partes e empresas que puderam colaborar, sempre sob a orientação dos docentes responsáveis em Braga, professoras Marilena Seixas e Rosa Faria, e na Madeira, professores Indalina Vieira e Marco Andrade.

A turma de CEF Cozinheiro 2.º ano, as turmas 1 do 11.º ano e 4 do 12.º ano da Escola Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas, no concelho de Câmara de Lobos, estão a fazer um intercâmbio com uma turma do 11.º ano da Escola Secundária de Vila Verde, distrito de Braga. A primeira fase – fase Madeira, decorreu do dia 28 de março a 02 de abril do corrente ano com a visita dos bracarenses acompanhados de cinco adultos, tendo estes dias sido abençoados com um belo sol.
Este intercâmbio tem como objectivos:
- Analisar a forma como a gestão dos ecossistemas pode contribuir para alcançar as metas de um desenvolvimento sustentável;
- Celebrar de uma forma diferente o final de uma etapa académica para a turma de CEF de Cozinheiro 2.º ano;
- Conhecer a gastronomia típica do norte de Portugal continental;
- Entender a simultaneidade de diferentes valores e culturas;
- Explorar as dinâmicas de interação existentes entre os seres vivos num ecossistema;
- Fomentar relações interpessoais;
- Identificar as contribuições da Geologia nas áreas da prevenção de riscos, ordenamento de território, gestão de recursos ambientais e educação ambiental;
- Incentivar a melhoria do comportamento e aproveitamento dos alunos;
- Manifestar respeito por outras regiões;
- Observar algumas consequências da construção em leitos de cheia, extração de inertes no leito dos rios e construção em zonas de risco de movimentos em massa;
- Perceber a fauna e flora típica da região norte;
- Reconhecer atitudes de valorização do património geológico;
- Relacionar o equilíbrio dinâmico dos ecossistemas com a sustentabilidade do planeta Terra;
- Relatar o papel dos instrumentos de ordenamento e gestão do território com a proteção e a conservação da Natureza;
- Sensibilizar para a vida em sociedade;
- Valorizar atitudes de diálogo, tolerância e solidariedade em tarefas e projetos comuns;
- Visualizar paisagens magmáticas, sedimentares ou metamórficas.

Os alunos madeirenses puderam dar a conhecer aos visitantes a zona oeste e zona este da ilha da Madeira, salientando em cada ponto de paragem a história do local, a fauna, flora, geologia e alguma curiosidade acerca do mesmo, destacando-se uma vista “fantabulástica” no miradouro do Cabo Girão ou um contacto com o mundo animal do meio rural numa ida à Quinta Pedagógica dos Prazeres, seguindo-se de um momento de relaxamento ao fazer o Percurso dos Pés Descalços. Foram dias de aulas diferentes em que os alunos residentes tornaram-se “professores” dos alunos visitantes permitindo não só conhecimento científico mas também algum convívio salutar. Num dos dias, após a receção do grupo bracarense pelo presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos e pelo presidente da nossa escola, fizemos a atividade Geocach, organizada pelos professores de educação física da nossa escola, Ana Rita Costa, Carmo Gonçalves e Bruno Silva, para descobrirmos a cidade de Câmara de Lobos.
Também importante foi o vislumbrar de uma bela paisagem na subida ao Monte de teleférico e posterior “viagem” à cultura e história que reina no Monte Palace-Fundação Berardo. Para conhecer toda a variedade de fruta produzida na ilha da Madeira, com os mais variados sabores e aromas, foi necessário visitar o Mercado dos Lavradores, com passagem pela cultura artística produzida nas “Portas da zona velha”, culminando num momento de recuperação de energias na Praça do Povo.
Como verdadeiros “turistas”, os “intercambistas” puderam degustar de uns “manjares”, elaborados com produtos regionais, pelos alunos do CEF de Cozinheiro da escola madeirense, sob orientação dos chefes André e David, sob alçada do chefe Otávio Freitas, e outros “manjares” elaborados pelas cozinheiras da nossa escola.
A segunda fase, fase Vila Verde, a decorrer em meados de abril, encontra-se no segredo dos “deuses” e dos alunos da turma anfitriã, pois são estes os responsáveis pela organização desta parte.
Todas estas actividades foram possíveis graças ao apoio incondicional dos encarregados de educação, do Conselho Executivo de ambas as escolas, da autarquia de Câmara de Lobos e empresas que puderam colaborar, sob uma excelente coordenação dos professores responsáveis, Indalina Vieira e Marco Andrade.

Additional info

No Dia da Árvore e da Floresta e Dia da Poesia, falou-se sobre a Laurissilva da Madeira, poesia na Natureza, com a escritora Énia Gouveia.


    O Baú de Leitura da Escola Básica e Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas assinalou o Dia da Árvore e da Floresta e o Dia da Poesia, que se celebra no dia 21 de março, promovendo um encontro com a escritora madeirense Énia Gouveia, que apresentou a sua obra infanto-juvenil “Flora e Minos - O nascimento da Madeira”.
Tecida com os fios da descoberta do amor pela curiosa e sonhadora princesa Flora e pelo humilde pastor Minos, esta história fala sobre o nascimento das ilhas da Madeira e do Porto Santo e contém descrições pormenorizadas e mágicas, pela beleza e frescura que guardam, das paisagens da floresta Laurissilva, sem esquecer a fauna madeirense.
    Neste encontro, integrado “Nas Asas do Génio Madeirense”, a jovem escritora falou para um público que integrava os alunos das turmas 1, 2 e 3 do 5.º ano que se mostraram sempre muito curiosos e participativos. Sempre jovial e sorridente, a convidada cativou os presentes com o seu conhecimento sobre a Laurissilva, satisfazendo, de forma solícita e entusiástica, todas as curiosidades e dúvidas colocadas pelos alunos.
    E porque neste dia se celebrou também o Dia Mundial da Poesia, e já em tempo de Primavera, houve tempo ainda para se ouvir o poema “Quando vier a Primavera”, de Fernando Pessoa, pela voz da aluna Catarina Raquel Gonçalves Fernandes, do 5.º 1.
    As professoras dinamizadoras do Baú de Leitura agradecem aos professores que acompanharam os alunos nesta atividade. As mesmas deixam o seu agradecimento aos alunos das turmas 1 e 2 que, sob a orientação das professoras Elsa Andrade e Marisol Silva, realizaram trabalhos alusivos às efemérides que deram ainda mais cor ao espaço da Biblioteca. Um agradecimento especial à professora Susana Luís que, uma vez mais, colaborou com o Baú de Leitura na construção das árvores que enfeitaram o interior e o exterior da Biblioteca.

 


As dinamizadoras do Baú de Leitura,
Delta Pereira e Sílvia Oliveira

Additional info

O projeto Baú de Leitura da Escola Básica Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas dinamizou o concurso de leitura, destinado a alunos do 2.º ciclo.

O Baú de Leitura da Escola Básica Secundária Dr. Luís Maurílio da Silva Dantas promoveu, no dia 15 de março, na biblioteca da escola, o Concurso de Leitura destinado a alunos do 2º ciclo. Os participantes tiveram de responder a várias questões sobre a obra As Naus de Verde Pinho de Manuel Alegre. O concurso contou com a participação de 24 alunos (12 pares) da turma 3 do 6º ano. A prestação dos alunos foi avaliada pelos professores Ana Dantas e Pedro Monteiro, os quais integraram o júri do concurso, e aos quais deixamos desde já o nosso agradecimento pela pronta disponibilidade que aceitaram o convite para participarem nesta atividade.
Concluído as várias fases do concurso, foi apurado o par vencedor, composto pelos alunos Afonso Simão Ferraz Correia e Francisco Afonso Ferreira Ornelas, os quais receberam um certificado de participação e um livro oferecido pelo Baú de Leitura. Todos os alunos participantes demonstraram empenho na realização da atividade e revelaram conhecer o texto pormenorizadamente. Estão todos de parabéns!



As dinamizadoras do Baú de Leitura,
Delta Pereira e Sílvia Oliveira